Os nossos ilustradores são a nossa imagem, o nosso rosto.  São a forma e a cor dos nossos livros, dos nossos sonhos, e são eles que nos aproximam do mundo colorido dos petizes. Atualmente, o ilustrador deixou de ser um decorador das palavras do escritor e, no respeitante ao imaginário infanto-juvenil, passou a ser tão ou mais importante que a figura do escritor. São dois mundos, o das palavras e o das cores, que coexistem nesta mesma Paleta.  O escritor ilustra com palavras e o ilustrador reconta a história com as imagens. Daí ser tão importante a presença dos nossos ilustradores nas escolas, onde podem motivar e ensinar os métodos e as técnicas que utilizam frequentemente no seu trabalho. Ler tem de ser um prazer, tem de ser algo mágico, e o ilustrador tem esse papel de encantar, com o lápis na mão qual condão de ilusionista.

Portugal está repleto de jovens criadores com infindável valor que esbarram com barreiras e obstáculos antes de conseguirem partilhar a sua visão. Um dos nossos objetivos é o de dar visibilidade a esses talentos, através não só das nossas obras, mas também associados a vários concursos literários.

O José Machado e a Sandra Fernandes são dois exemplos vivos dessa existência e dessa intenção. Ambos se estrearam na edição de livros com a nossa editora e, sinceramente, esperamos que estes sejam os primeiros de muitos. Que sejam uma porta ampla e aberta para um mundo de múltiplas possibilidades.

Juntos, na sua diferença e na sua cumplicidade, eles fazem sessões informais que deslumbram os pequenos. Se cada qual tem o seu registo e conta a sua história, a verdade é que depois, alternadamente, constroem um mundo a dois, com riscos e traços que vão erigindo castelos e reinos surreais. São imagens que nos cativam e que nos chamam, ora em gritos desvairados de contentamento, ora em sussurros que nos contam os “porquês” das histórias.